segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Minha nova mania na net




Descobri o meme!
É um microblog muito parecido com o twitter, mas tem mais recursos de postagem de fotos e vídeos.
Gostei demais, as pessoas postam e repostam e fica tudo muito divertido.
Não existem muitas pessoas no meme como existem no twitter, mas eu acho que é uma questão de tempo para descobrirem essa outra mania internética.
Eu me adaptei melhor ao meme que ao twitter, onde eu nunca acho nada para escrever.
Já no meme a gente se expressa graficamente e é muito melhor, a mensagem fica muito mais clara.
Bom, quem quiser me seguir no meme, abra sua conta lá e fique à vontade.
Vocês vão adorar, garanto. Segue o link:

http://meme.yahoo.com/dashboard/

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Escolhendo escolas e alunos


Gente, é muito difícil escolher escola para o seu filho.
Hoje em dia, aliás, não são só os pais que escolhem a Escola, mas as Escolas também escolhem os alunos.
Todas as Escolas agora fazem uma "avaliação" da criança candidata a uma vaga em qualquer ano de qualquer ciclo.
No Fundamental, em algumas escolas, esse processo gera um stress na criança e na família que antigamente não existia.
Antigamente existiam ou não vagas disponíveis, não era necessário levar todo o material usado na escola anterior, o boletim, relatórios, para serem analisados por coordenadores.
Como também não era necessário que a criança passasse por uma avaliação com uma pessoa que ele nem conhece e que anota todas as impressões que teve da criança em 30 minutos de conversa para depois relatar os mínimos detalhes aos pais como se fosse uma cobrança pelo desempenho ideal.
Falo isso porque o Bruno passou por um processo desses esta semana e eu me vi de repente na frente de uma "Coordenadora" com uma postura extremamente crítica, colocando impressões que ela teve do meu filho e que eram todas falsas pois o tempo é muito pequeno para se tirar conclusões sobre a personalidade da criança.
Para se ter uma idéia ela me disse que o Bruno pareceu uma criança agressiva porque disse que brigava na Escola. Se tem uma coisa que o Bruno não é é agressivo! Nunca presenciei uma agressão sequer que ele tenha feito. Ele reage, ele briga quando provocado, mas longe de ser uma "criança agressiva" - o rótulo.
E outra observação com muita crítica foi de que ele vinha de um Colégio "tradicional".
Hoje algumas escolas acham isso um palavrão! Escola tradicional para elas é o mesmo que reformatório!
Como essa visão está distorcida meu Deus!
O fato de ele ter aprendido a montar contas de somar e subtrair é um pecado mortal para ela! Será que existe outra alternativa mais genial?
O Colégio que segue uma linha mais conservadora, cobra disciplina e conteúdos em provas virou sinônimo de Reformatório para Menores.
O fato do Bruno ter dito que não passava tardes inteiras em livrarias pareceu a ela um defeito gravíssimo.
Ele disse que não tinha uma "Biblioteca" em casa...OHHHH...outro defeito imperdoável.
O que está acontecendo com a educação?
Eu não me lembro de ter nenhuma biblioteca em casa, mas eu lia muuuuitos livros, sempre amei ler, tampouco passava tardes em livrarias...não existiam essas "Megastores" de hoje, muito menos Shoppings!
Que ponto de vista mais reducionista esse que se leva em conta em algumas seleções dessas.
Fica difícil diante deste tipo de postura preconceituosa, crítica e completamente "zen" noção, saber se essa Escola será uma boa alternativa para o Bruno.
Fiquei muito decepcionada pois esperava um pouco mais de inteligência nesse Colégio e encontrei só clichês da filosofia dita "construtivista". Que pena.
Tenho certeza de que vou agora correndo em busca de outro Reformatório....do jeitinho que era o Colégio onde eu estudei - e que me fez muito bem, me formou uma pessoa responsável, respeitadora, crítica e estudiosa. É ruim isso agora?

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Volta do Feriadão...ninguém merece!!!



Foi assim mesmo nossa volta do feriadão em Itapetininga.
Era assim a Castelo ontem à tarde...5 horas de viagem...o normal são 2 horas!
E a fila no banheiro do Frango Assado...claro...do banheiro feminino, que os homens se viram muito mais rápido!
Não tem coisa pior numa volta de feriado do que um congestionamento monstro.
Neste feriado eu tenho certeza de que todo mundo resolveu sair de São Paulo...e boa parte foi pela Castelo!
A cidade deveria estar uma paz!
Fora o tempo horroroso...chuva, frio, em outubro....aquecimento global? Onde????
Bom, mas chegamos né....depois de horas, mas chegamos....
Ser paulista tem dessas coisas!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Uma luz no fim do tunel para as fofinhas!!!!



Revistas apelam a gordinhas em busca da beleza 'real'

Os padrões de beleza no mundo editorial da moda estão em xeque, e as modelos esquálidas parecem estar com os dias contados. Pelo menos nas páginas de duas importantes revistas. A americana "Glamour" e a alemã "Brigitte" anunciaram nesta segunda-feira que suas modelos serão mais próximas do "real".

A revista "Glamour" trará em sua capa de novembro sete modelos nuas acima do peso - pelo menos para os padrões das passarelas. A publicação americana já havia feito sucesso em sua edição de setembro ao colocar a foto de uma modelo com a barriguinha à vista, a americana Lizzie Miller, 20 anos.
Já a "Brigitte", revista feminina mais
popular na Alemanha, anunciou que não vai mais exibir modelos profissionais em suas páginas, substituindo-as por mulheres "comuns". A publicação alega que, ao estampar figuras magérrimas, acabou se distanciando de suas leitoras.

Na Semana de Moda de Milão, a adoção de padrões "acima das medidas" já não é novidade. Especialista em roupas de tamanhos maiores, Elena Mirò sempre apresenta suas coleções na fashion week italiana com modelos "plus size".
O desfile mais recente da estilista, ocorrido no dia 23 de setembro, contou justamente com a presença de Lizzie Miller, a mesma que causou polêmica - e também recebeu muitos elogios - ao exibir nas páginas da "Glamour" os "pneuzinhos" salientes.

Viva...enfim...mulheres reais, possíveis....com todas as marcas que o tempo, a gravidez, etc. trazem!!!!
E que são marcas da vida que vivemos, das alegrias que tivemos...
Muito legal essa notícia!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Texto do Ziraldo sobre Saúde Bucal - Muito interessante!



Outra vez falando de um dos mais graves problemas de saúde pública no Brasil
       Ziraldo

Vocês se lembram da boca do Bandido da Luz Vermelha, quando, trinta anos depois de viver sob a responsabilidade do Estado, ele saiu da prisão? Ele era responsabilidade do Estado – repito – e provou que nem de um brasileiro só o Estado tem condições de cuidar dos dentes. Sua boca tinha virado uma cloaca.
Podemos, com muito esforço e vontade política, salvar as bocas do futuro, ministrar às nossas crianças uma educação dentária, criar hábitos de higiene, ensiná-las a limpar e lavar os dentes (e não escová-los, como sempre se ensinou). Mas isto é outra história.

Não estamos falando aqui de prevenção nem de futuro. Estamos falando de um problema imediato: salvar a boca, a saúde e a vida de mais da metade da população brasileira. Uma gente que vive perrengue, cheia de macacoas, num desande de fazer gosto, numa impossibilidade, numa indisposição, cheia de mazelas, de achaques, carregação ou trabuzana.

Esse povo não pode viver assim, jamais iremos conseguir sentá-lo numa cadeira de dentista, durante semanas de tratamento, com material cirúrgico e dentário a preços inacessíveis.

Temos, porém, que fazer alguma coisa, não podemos deixar o brasileiro do bumba-meu-boi, das redes de pesca, das cavalhadas, das danças e folguedos, dos canaviais, das colheitas e das romarias, matar a gente de vergonha diante do mundo, quando, fingindo felicidade, sorriem desdentados para os fotógrafos premiados sociais.
Então, pergunto a mim mesmo: há solução? Digo que há. E qual é? E eu respondo: a perereca! A velha mobília, meus filhos, dita mobía, a dentadura, essa mesma, que qualquer protético sabe fazer.



As últimas palavras sobre um dos mais graves problemas de saúde pública no Brasil
  Ziraldo
Descobri isto um dia que vi, na Ilha Grande, no litoral fluminense, um mulato gordinho, vestido todo de branco – até o sapato – com uma pasta preta na mão, descer da barca, vendendo dentaduras. Ele se dizia protético prático. Olhava a boca podre dos pescadores, contava os dentes, recomendava uma vista ao dentista do litoral, pra arrancar o que restava – boticão é barato -, na semana seguinte voltava, media a boca do coitadinho e experimentava a dentadura, tão barata hoje não chegaria a cinqüenta pratas.

Entrevistei um de seus clientes. – Doutor – ele me disse – foi duro no começo, de calo na gengiva, sofri pra dormir, mas agora, doutor, me acostumei. O senhor sabe (e este dado é importante para a minha proposta. N.A.), pobre acostuma com tudo! Aí eu perguntei se a vida dele tinha melhorado. E ele disse: - Ah, sim, acabaram as dores! – De dentes? – eu perguntei. E ele respondeu: - Não. Do corpo inteiro. Sou outro homem. Sabe o que é, doutor, parei de engolir pus! É isto aí!

Proponho a criação do MINAD, Ministério Nacional da Dentadura. Ou MINAP, Mistério Nacional da Perereca.
Estou falando sério, muito sério mesmo! O logotipo seria uma boca sorridente, sem um só dente e o slogan: “Banguela, porém feliz!”.

Sejamos realistas. Pobre acostuma com tudo. Menos com doença, abandono e desamparo.





sábado, 3 de outubro de 2009

Mãos Dadas


De mãos dadas vamos caminhando...
Vivendo cada dia na certeza de que estaremos sempre juntos.
Confiando que estaremos um ao lado do outro em todos os momentos, fáceis e difíceis.
Essa certeza, essa confiança, essa segurança, também é amor.
Que torna a jornada mais leve, os dias mais claros, as noites mais calmas.
Agora mais do que nunca tudo isso faz sentido.
Agora mais do que antes, tudo isso é verdadeiro.
Companheiros de viagem, para sempre!